sábado, 28 de abril de 2012

O MENINO DE AZUL




Era uma vez um menino azul
Costumava sonhar com esse anjinho
Que voava sorrateiro pelas minhas noites
E clareava os meus dias mais cinzentos
Suas asas macias ele me roçava
E me fazia promessas
Ele me oferecia sorrisos e me fugia
Rondava meus caminhos e me escapava
Lindo menino todo azul!
Era assim que eu o imaginava
Um caleidoscópio a sua imagem refletia
Num prisma de luz que me banhava
Com as projeções de seu espectro sutil
Um divino milagre me fez guardiã e mãe
Desse anjo que se fez menino.
Meu sonho tornou-se uma doce realidade.
Adentrei a mansão dos puros sentimentos.
Onde moro com meu principezinho envolto em azul.

Nathalia Leão Garcia
Rio, 28 de abril de 2012.





CONFISSÕES DE UMA REJUVENESCENTE

Na eminência dos 50 anos revigorada Ainda tento colher minhas memórias reticentes A desorganização do meu ser em desalinho esparramad...