sábado, 28 de abril de 2012

O MENINO DE AZUL




Era uma vez um menino azul
Costumava sonhar com esse anjinho
Que voava sorrateiro pelas minhas noites
E clareava os meus dias mais cinzentos
Suas asas macias ele me roçava
E me fazia promessas
Ele me oferecia sorrisos e me fugia
Rondava meus caminhos e me escapava
Lindo menino todo azul!
Era assim que eu o imaginava
Um caleidoscópio a sua imagem refletia
Num prisma de luz que me banhava
Com as projeções de seu espectro sutil
Um divino milagre me fez guardiã e mãe
Desse anjo que se fez menino.
Meu sonho tornou-se uma doce realidade.
Adentrei a mansão dos puros sentimentos.
Onde moro com meu principezinho envolto em azul.

Nathalia Leão Garcia
Rio, 28 de abril de 2012.





REFLEXÕES SOBRE A VIOLÊNCIA

Escrevo agora pela necessidade de me pronunciar sobre os acontecimentos atordoantes que se desenrolaram nas dependências de nosso Colégio ...