quarta-feira, 2 de maio de 2012

DESABA




Que forma mais linda de se desvendar!

Leio a sua alma através dos seus poemas.

E você faz o mesmo neste mesmo instante.

A poesia nos desaba por dentro.

Derrete geleiras de corações endurecidos

Quebra todas as barreiras de contenção.

E nos expõe em carne viva.

É a entrega sem trégua!

Vem e se decompõe!

Comigo fica à toa e voa!

Um convite a saltar sem paraquedas

Mas não se preocupe!

Não há precipício no vício de amar!


Nathalia Leão Garcia




Rio, 02 de maio de 2012



CONFISSÕES DE UMA REJUVENESCENTE

Na eminência dos 50 anos revigorada Ainda tento colher minhas memórias reticentes A desorganização do meu ser em desalinho esparramad...