quarta-feira, 2 de maio de 2012

NECESSÁRIAS CIDADES


Precisamos acolher as cidades como filhas
Apesar dos pesares
Podemos mandar os protocolos pelos ares
Brincar como menino
Podemos nos libertar das armadilhas. 
Soltar nossos balões 
Espantar o medo.
Na eterna busca pelo grande abraço.
Soar a nossa voz como um hino
Que faça suportável a nossa saudade.
E seja companhia para os amores perdidos. 

Nathalia Leão Garcia 
Rio, 02 de maio de 2012.





CONFISSÕES DE UMA REJUVENESCENTE

Na eminência dos 50 anos revigorada Ainda tento colher minhas memórias reticentes A desorganização do meu ser em desalinho esparramad...