sexta-feira, 1 de junho de 2012

MÚLTIPLAS PERSONAS



Habito meus próprios medos.
Convivo promiscuamente com a minha sombra.
Exponho as minhas vísceras.
Entrego a minha cabeça a prêmio.
Ofereço-me ao escárnio.
Os ângulos que compõe a minha figura
São incongruentes.
Não tenho simetria.
Saio do prumo e destoo.
Me inclino e desafino.
Deixo que provem do meu néctar.
Mas quantos caíram nos meus abismos?
Me cultivo em segredo.
Povoo o meu santuário intocado.
Só eu o conheço.
Sou do tipo misturado.
Aquele que abriga muitos seres.
Meus eus irreconciliáveis.

Rio, 01 de junho de 2012
Nathalia Leão Garcia



CONFISSÕES DE UMA REJUVENESCENTE

Na eminência dos 50 anos revigorada Ainda tento colher minhas memórias reticentes A desorganização do meu ser em desalinho esparramad...