quarta-feira, 6 de junho de 2012

O INDEFINÍVEL AMOR


Amor é dádiva!
Não vem por mérito.
Não obedece a requisitos.
Amor não é moeda de troca.
É senhor de si
Não segue ritos.
Pode viver num palácio
Ou numa maloca. 
É bom pra mim e pra ti
Não responde a inquéritos.
Acontece como simples mágica!
O amor não discrimina.
Tradicional ou esquisito
Basta abrir o peito e sentir.

Rio 06 de junho de 2012. 
Nathalia Leão Garcia. 


O SUJEITO NA PÓS MODERNIDADE: A INSUSTENTÁVEL FLUIDEZ

                                                                                                        O SUJEITO NA PÓS MODERNIDADE:...