terça-feira, 24 de julho de 2012

DELÍRIO COLETIVO



Somos insignificantes
Exageramos na importância
Mascaramos a dor
Substituímos a ânsia
Pelo ópio incolor
Gritamos meias verdades
Somos substituíveis
Individualmente impotentes
Somados somos fortes
Dividimos a mesma miséria
Na medida do tempo atroz
Diminui a relevância
Pensando na sobrevivência
Nos perdemos no coletivo
Multiplicamos a energia
Afogamos a angústia
Em falsos sonhos delirantes.


Rio, 24 de julho de 2012.

Nathalia Leão Garcia




CONFISSÕES DE UMA REJUVENESCENTE

Na eminência dos 50 anos revigorada Ainda tento colher minhas memórias reticentes A desorganização do meu ser em desalinho esparramad...