sexta-feira, 17 de agosto de 2012

FÚRIA


A tua poesia rasga as vestes da hipocrisia.
Furiosa decreta o fim da monotonia,
infiltra-se deliberadamente e posseira.
Desnuda as almas e desabriga os dias
que definham suspirando
sem eira nem beira,
simplesmente porque amam
e por amar viverão em busca de aprovação
por um beijo ou por perdão.


Nathalia Leão Garcia 
Rio, 17 de agosto de 2012. 




REFLEXÕES SOBRE A VIOLÊNCIA

Escrevo agora pela necessidade de me pronunciar sobre os acontecimentos atordoantes que se desenrolaram nas dependências de nosso Colégio ...