sexta-feira, 3 de agosto de 2012

RELICÁRIO DE AMOR



Benditos sejam os seus versos!
As suas profundas palavras
arrancadas da escuridão
me arrebataram e ressuscitaram
do limbo e das trevas da solidão.
Aplacaram os fantasmas,
desmascararam as farsas
que teimam em assombrar meu coração.
Quero que você me tome inteira
não se negue nem cale o que sente,
abra de vez todas as arcas,
que se exponha sem restrição
Prometo caminhar com muito cuidado,
cuidar do tecido frágil e delicado
que reveste a pele das suas entranhas.
Quero afugentar de vez esta dor estranha
e que na face só rolem lágrimas de paixão.


Nathalia Leão Garcia
Rio, 03 de agosto de 2012.



O SUJEITO NA PÓS MODERNIDADE: A INSUSTENTÁVEL FLUIDEZ

                                                                                                        O SUJEITO NA PÓS MODERNIDADE:...