terça-feira, 11 de junho de 2013

O ESPERADO AMOR EM FLOR

        
                                                
Intrigante e perturbadora.
Essa é a prosa sobre os novos tempos.
Tempos onde sobra jogo e falta amor.

Generosa a rosa desabrocha nos jardins.
Infinitos desejos se escondem na escuridão.

Por que se dão tão pouco os amantes?
Porventura o vento dos desertos
devastou os corações com a aridez?

Vamos cambiar a avareza pela compaixão.
Ouvir os poetas e seus cantos mais delirantes.
Falta a palavra despudorada e desprovida de medo.

Palavra e silêncio.
Ícones monolíticos insanos.
Dizer e olhar
ao invés de falar e ver.

Há urgência de cuidar!
Há carência de curar!

Bradam os mudos.
Disparam os imobilizados.
Escandalizam os puros.
Que se derrubem os muros!

Rio, 11 de Junho de 2013

Nathalia Leão Garcia

CONFISSÕES DE UMA REJUVENESCENTE

Na eminência dos 50 anos revigorada Ainda tento colher minhas memórias reticentes A desorganização do meu ser em desalinho esparramad...