sábado, 24 de janeiro de 2015

SINTONIA



Ando por aí tentando me encontrar
Em cada trilha, canto em cada olhar.
O que busco está além do mar.

Amar com paz
Aquém dos sonhos tu dirás.
Porém eu quero muito mais.

Perco tempo com a fome
Este sentimento que me consome
É intraduzível, não tem nome.

Perdi a compostura
Mas trago comigo alguma doçura
As vestes do tempo têm traços de candura.

Os desertos povoam as imagens
Tateiam e permeiam as miragens
Meu barco não alcança as margens.

O velho sentimento de inadequação
ronda as noites vazias de paixão
Na busca sigo os acordes da canção.


Nathalia Leão Garcia 

Rio de Janeiro, 24 de janeiro de 2015 



                                                            Kandinski

CONFISSÕES DE UMA REJUVENESCENTE

Na eminência dos 50 anos revigorada Ainda tento colher minhas memórias reticentes A desorganização do meu ser em desalinho esparramad...