terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

CANTANTE


Quem ama não é insignificante.
Antes disso, mais do que importante.
O amor não aceita ser “ficante”.
É personagem principal o amante.
Incomoda e incomodante.
Captura e aproxima o distante.
Celebra o sal da vida vibrante.
Quem quiser mais que cante.

Nathalia Leão Garcia
Rio de Janeiro, 10 de fevereiro de 2015.



CONFISSÕES DE UMA REJUVENESCENTE

Na eminência dos 50 anos revigorada Ainda tento colher minhas memórias reticentes A desorganização do meu ser em desalinho esparramad...