segunda-feira, 18 de abril de 2016

DIA SEGUINTE

No dia seguinte à votação na Câmara dos Deputados em Brasília em que passou o processo de admissibilidade do Impeachment da Dilma, falo da melancólica e patética posição de uma presidente acuada e isolada que manifestamente é repudiada por todos e até pelos seus pares. O seu grande mentor a abandonou. Esse abandono e repúdio se deve a postura deste desgoverno de se dirigir somente aos que nela votaram ignorando e insultando a grande maioria dos brasileiros que não são seus eleitores como eu. Quanto aos que nela votaram, também foram brindados com mentiras e trapaças que resultaram na descrença geral. Mantras repetidos à exaustão sobre bestialidades e absurdos que rondam à insanidade! Coleções de desculpas e de culpados eleitos para assumir a responsabilidade pelo próprio fracasso. Chegamos ao cúmulo de uma estranha divisão do povo, muros plantados pelos ditadores bufos! A paga foi essa! Pobre de nós que precisamos da massa de corruptos políticos para afiançar o processo de limpeza no poder! Na falta de heróis contamos com os vilões!

No dia seguinte, falo de angústias que todos vivemos! Foi difícil passar o dia de ontem que parecia não ter fim. Muitas ameaças e pressões para amedrontar quem se dispunha a participar nas ruas que são nossas e não foram palco de confrontos e sim da livre manifestação de um povo que compartilhou. Aqui no Rio pelo menos não houve confronto. Vamos continuar partilhando igualmente o ônus e os danos das escolhas já feitas.

No dia seguinte acredito que somos maiores hoje porque aprendemos mais essa lição. Temos que conviver com as diferenças e lutarmos juntos por um Brasil melhor que mereça seus filhos! Estou rouca de gritar e cantar aos altos brados o hino nacional. O nosso hino de liberdade que embalou os sonhos nas cores dos nossos desejos que incluem verde, amarelo, azul, branco e vermelho da pluralidade. A democracia tem muitos matizes,  mas no fim o que todos querem é um país mais inclusivo e unido para fazer o melhor! Queremos trabalho, educação, saúde, crescimento econômico, segurança e direito à cidadania.

No dia seguinte precisamos pensar sobre este momento crítico político assumindo às nossas responsabilidades e elevando o nível de discussão. Há muito que fazer ainda para atingirmos respeito e cidadania na política. Ontem foi uma maratona, torcemos e expurgamos o nosso repúdio a essa lama toda que encobre o Brasil. Temos que assumir o comando das nossas vidas, é papel de todos nós participarmos da sociedade! #ChegaDeDesrespeito

Nathalia Leão Garcia
Rio, 18 de abril de 2016.





CONFISSÕES DE UMA REJUVENESCENTE

Na eminência dos 50 anos revigorada Ainda tento colher minhas memórias reticentes A desorganização do meu ser em desalinho esparramad...