quinta-feira, 29 de junho de 2017

REFLEXÕES SOBRE A VIOLÊNCIA

Escrevo agora pela necessidade de me pronunciar sobre os acontecimentos atordoantes que se desenrolaram nas dependências de nosso Colégio na noite do dia 27 nesta terça-feira. Com um sentimento de absoluta perplexidade, fomos todos golpeados por uma brutal irracionalidade e é muito duro constatar o quanto podemos ser regredidos em matéria de civilização! Dói muito essa sensação de incompreensível primitivismo, mas neste momento temos que refletir sobre a nossa parcela de conivência com o desrespeito e a intolerância que sinalizam o mal-estar que acomete a nossa sociedade doente! 

Não há nada que justifique as grosserias e faltas de respeito com o próximo,  porém vivemos momentos desafiantes em que nossos limites são esgarçados e nossas certezas despedaçadas. Impõe-se questionamentos que rondam a nossa condição de  seres civilizados. Aonde estão os nossos valores? O que nos torna humanos? Será que perdemos o rumo? Aonde erramos? Onde estão as respostas? Ir de encontro aos nossos princípios pode nos fornecer algum tipo de alento. O que nos torna vulneráveis talvez nos ajude a buscar compreensão e apoio seja uns nos outros, nas nossas famílias, na fé ou em algum religare que nos faça prosseguir nesta caminhada. 

Ontem estava conversando com o Professor Tobias e lembrei de suas palavras acalentadoras que comparam a sala de aula a uma espécie de templo em que somos envolvidos por uma aura tão elevada que nada de mal pode nos atingir.

Já são tão grandes os obstáculos que enfrentamos no cotidiano! Nossos dirigentes dão os piores exemplos de desonestidade e descaso com a população. Figuras de autoridade estão se desmoralizando. Os que deveriam nos proteger nos achacam. Porque sou professora estabeleçouma correlação com a decadência do Ensino no Brasil e com a situação da carreira de professor, sua desvalorização o que representa a crônica da morte anunciada. Receita de bolo: um país sem educação que não valoriza seus professores está fadado ao fracasso. Precisamos resgatar a esperança e a perspectiva de um futuro para os nossos jovens. É responsabilidade de cada um de nós!

Apelo a todos para que possamos nos elevar e povoar nossos pensamentos com o que temos de melhor: a arte do conhecimento, o ensino que é sagrado. Falo isso com todo o meu coração e com a convicção de que somos capazes de superar a barbárie e nos segurar na força das nossas mentes. Precisamos colher algum significado para esta crise. Não podemos sucumbir a selvageria! Eu os convoco para lutarmos juntos afim de superar os desafios. Defendo o que acredito e me ofereço para trabalharmos no resgate de nossa dignidade e para a construção de uma sociedade mais justa. Sim, depende de nós! Não vamos assistir ao enterro dos nossos sonhos, vamos empunhar as armas do bem e do amor! Precisamos entender que a convivência com nossos semelhantes requer aceitação e respeito. Que Deus nos ilumine e nos dê a sabedoria para encontrarmos a paz e a solidariedade!

ENVIO AO CÉU

             Meu querido amigo Israel!           Hoje lhe conto da emoção que reverbera no meu ser, com a leitura do Conto Olhos D´água...