segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

VERSOS DOURADOS


Os sonhos dourados se esgueiram pelas frestas da cerca.
Invadem a escuridão e criam o efeito de luz subversiva.
Persuadem o medo, se rebelam contra os muros.
Esta rebelião segue a levada. 
O jogo de cintura no drible do jogo.
A magia da ginga que esbanja.
Arrancam as vestes das injustiças.
Desnudam a mentira velada. 
Libertam do cárcere, as almas submissas.

Nathalia Leão Garcia

Rio de Janeiro, 17 de fevereiro de 2014.


CONFISSÕES DE UMA REJUVENESCENTE

Na eminência dos 50 anos revigorada Ainda tento colher minhas memórias reticentes A desorganização do meu ser em desalinho esparramad...