segunda-feira, 17 de novembro de 2014

TEMPO EM TEMPO



Pessoas arrastadas pelo tempo,
batendo ponto na existência
e cumprindo protocolos inúteis.

Alguns preenchem os seus vazios interiores
adotando agendas de CEO
e  acumulando coleções inúteis de entulho
na tentativa vã de adquirir algum significado
e povoar seus desertos emocionais tão pobres.
Sinal dos tempos superficiais, tão iguais e disformes.

"Quem roubou nossa coragem?
Este verso da Legião Urbana é perfeito
para traduzir a angústia da nossa geração amordaçada,
comprimida entre os saltos abissais
que tivemos que dar ao longo do caminho.

Civilização dinamitada
pela falta de ilusão
em relação à humanidade cruel e frívola!

Transbordando em emoções
e necessidade de desaguar o que sinto
que já não cabe mais em mim,
preciso inundar a terra que me cerca!

Cansei da aridez das pessoas!
Não me identifico com isso!
Meu estado é líquido!
A felicidade é aleatória,
não há mapas nem qualquer atalho seguro!

As oportunidades são projeções holográficas
que nos surpreendem e nos assaltam,
nos sequestram da rotina impiedosa
e renovam as esperanças
fazendo a vida valer a pena!

Desde muito cedo na vida,
escolhi ser feliz independente das circunstâncias!
Mantenho um jardim interior povoado de sorrisos,
atitudes nobres e coragem!

Felicidade para mim é um estado de espírito
e acredito que podemos nos manter assim
sem nos contaminar pelo entorno!

Assim como não concedo a ninguém
o poder de roubar a minha paz,
também não permito que roubem
a minha alegria e fé na vida!
Eu escolho ser feliz! 


Nathalia Leão Garcia

Rio, 18 de novembro de 2014





















Salvador Dali 

CONFISSÕES DE UMA REJUVENESCENTE

Na eminência dos 50 anos revigorada Ainda tento colher minhas memórias reticentes A desorganização do meu ser em desalinho esparramad...