quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

CONFISSÕES DE UMA REJUVENESCENTE


Na eminência dos 50 anos revigorada
Ainda tento colher minhas memórias reticentes
A desorganização do meu ser em desalinho esparramada
Colcha de retalhos de dores e amores remanescentes
Cobre a minha alma desnuda e despudorada.
Convenhamos, não é de bom tom exibir uma rebelde mente.

Meus olhos expressam o bom humor
Nunca me canso de me surpreender
O que tenho de melhor para espalhar, o amor.
Não tenho medo de morrer.
Vivo a vida como beija-flor.
Provo os sabores que aprouver.

Sou os muitos livros que li
As bênçãos, rezas, pajelanças.
Dívidas, dúvidas e dádivas que contraí.
Sou feita de sustos, soluços, lágrimas, gargalhadas, bem-queiranças.


Como Neruda, confesso que vivi
Lembranças das andanças
Muito mais das esperanças
Divididas com quem convivi.


Nathalia Leão Garcia

Rio de Janeiro, 29 de dezembro de 2016.

The Golden Years - Balthus , 1945

ENVIO AO CÉU

             Meu querido amigo Israel!           Hoje lhe conto da emoção que reverbera no meu ser, com a leitura do Conto Olhos D´água...